Gaap Accounting For Employee Stock Options




Gaap Accounting For Employee Stock OptionsPrincipios Contabeis Geralmente Aceitos - GAAP BREAKING DOWN Principios Contabeis Geralmente Aceitos - GAAP GAAP e destinado a garantir um nivel minimo de consistencia nas demonstracoes financeiras de uma empresa. O que torna mais facil para os investidores analisar e extrair informacoes uteis. GAAP tambem facilita a comparacao cruzada de informacoes financeiras entre empresas diferentes. Conformidade GAAP deve ser seguido quando uma empresa distribui suas demonstracoes financeiras fora da empresa. Se uma acao das empresas for negociada publicamente, as demonstracoes financeiras tambem devem aderir as regras estabelecidas pela Comissao de Valores Mobiliarios dos EUA (SEC). GAAP abrange coisas como reconhecimento de receita. Classificacao de itens do balanco e medidas de acoes em circulacao. Se uma demonstracao financeira nao e preparada usando GAAP. Os investidores devem ser cautelosos. Alem disso, algumas empresas podem usar medidas GAAP e nao-GAAP em conformidade com os resultados financeiros. Os regulamentos GAAP exigem que medidas nao-GAAP sejam identificadas em demonstracoes financeiras e outras divulgacoes publicas, tais como comunicados a imprensa. GAAP vs IFRS GAAP e focada nas praticas das empresas dos EUA. O Conselho de Normas de Contabilidade Financeira (FASB) emite GAAP. A alternativa internacional aos GAAP sao as Normas Internacionais de Relato Financeiro (IFRS) estabelecidas pelo International Accounting Standards Board (IASB). O IASB e o FASB tem trabalhado na convergencia de IFRS e GAAP desde 2002. Devido aos progressos alcancados nesta parceria, em 2007, a SEC removeu o requisito para as empresas nao americanas registadas nos Estados Unidos para conciliar os seus relatorios financeiros com GAAP Se as suas contas ja cumprissem as IFRS. Esta foi uma grande conquista, porque antes da decisao, as empresas nao norte-americanas que negociavam em bolsas norte-americanas tinham de fornecer demonstracoes financeiras compativeis com GAAP. GAAP e apenas um conjunto de padroes. Embora estes principios trabalhem para melhorar a transparencia nas demonstracoes financeiras, eles nao fornecem qualquer garantia de que as demonstracoes financeiras de uma empresa estao livres de erros ou omissoes que se destinam a enganar os investidores. Ha muito espaco dentro do GAAP para contadores sem escrupulos para distorcer as figuras. Assim, mesmo quando uma empresa usa GAAP, voce ainda precisa examinar suas demonstracoes financeiras. Contabilidade para opcoes de acoes de funcionarios Por David Harper Relevancia acima Fiabilidade Nao iremos revisitar o acalorado debate sobre se as empresas deveriam gastar opcoes de acoes de funcionarios. No entanto, devemos estabelecer duas coisas. Em primeiro lugar, os peritos do Conselho de Normas de Contabilidade Financeira (FASB) queriam exigir opcoes que expensissem desde o inicio dos anos 90. Apesar da pressao politica, a despesa tornou-se mais ou menos inevitavel quando o International Accounting Board (IASB) exigiu isso por causa da tentativa deliberada de convergencia entre os padroes de contabilidade norte-americanos e internacionais. Em segundo lugar, entre os argumentos ha um debate legitimo sobre as duas qualidades primarias da informacao contabil: a relevancia e a confiabilidade. As demonstracoes financeiras apresentam o padrao de relevancia quando incluem todos os custos materiais incorridos pela empresa - e ninguem nega seriamente que as opcoes sao um custo. Os custos relatados nas demonstracoes financeiras alcancam o padrao de confiabilidade quando sao medidos de forma imparcial e precisa. Estas duas qualidades de relevancia e confiabilidade muitas vezes choque no quadro contabil. Por exemplo, imoveis sao carregados pelo custo historico porque o custo historico e mais confiavel (mas menos relevante) do que o valor de mercado - ou seja, podemos medir com confiabilidade quanto foi gasto para adquirir a propriedade. Os oponentes da despesa priorizam a confiabilidade, insistindo que os custos das opcoes nao podem ser medidos com exatidao consistente. FASB quer priorizar a relevancia, acreditando que estar aproximadamente correto na captura de um custo e mais importante correto do que ser precisamente errado em omiti-lo completamente. Divulgacao exigida mas nao reconhecimento por agora Em marco de 2004, a regra atual (FAS 123) exige a divulgacao, mas nao o reconhecimento. Isso significa que as estimativas de custos de opcoes devem ser divulgadas como nota de rodape, mas elas nao precisam ser reconhecidas como despesa na demonstracao de resultados, onde reduziriam o lucro reportado (lucro ou lucro liquido). Isso significa que a maioria das empresas realmente divulgar quatro ganhos por acao (EPS) numeros - a menos que eles voluntariamente optar por reconhecer opcoes como centenas ja fizeram: Na Demonstracao de Resultados: 1. Basic EPS 2. Diluido EPS 1. Pro Forma Basic EPS 2. Pro Forma Diluido EPS EPS diluido captura algumas opcoes - aqueles que sao antigos e no dinheiro Um desafio fundamental na computacao EPS e a diluicao potencial. Especificamente, o que fazemos com as opcoes pendentes, mas nao exercidas, opcoes antigas concedidas em anos anteriores que podem ser facilmente convertidas em acoes ordinarias a qualquer momento (Isto se aplica nao apenas as opcoes de acoes, mas tambem as dividas conversiveis e alguns derivativos.) Diluido O EPS tenta capturar esta diluicao potencial usando o metodo do estoque de tesouraria ilustrado abaixo. Nossa empresa hipotetica tem 100.000 acoes ordinarias em circulacao, mas tambem tem 10.000 opcoes pendentes que estao todos no dinheiro. Ou seja, eles foram concedidos com um preco de exercicio 7, mas o estoque desde entao aumentou para 20: Basico EPS (acoes ordinarias de lucro liquido) e simples: 300.000 100.000 3 por acao. O EPS diluido utiliza o metodo do estoque em tesouraria para responder a seguinte pergunta: hipoteticamente, quantas acoes ordinarias estariam em circulacao se todas as opcoes em circulacao fossem exercidas hoje. No exemplo acima discutido, o exercicio por si so acrescentaria 10.000 acoes ordinarias ao base. No entanto, o exercicio simulado proporcionaria a empresa dinheiro extra: receita de exercicio de 7 por opcao, mais um beneficio fiscal. O beneficio fiscal e dinheiro real, porque a empresa consegue reduzir seu lucro tributavel pelo ganho de opcoes - neste caso, 13 por opcao exercida. Porque porque o IRS esta indo coletar impostos dos titulares de opcoes que pagarao o imposto de renda ordinario no mesmo ganho. (Observe que o beneficio fiscal se refere a opcoes de acoes nao qualificadas. As chamadas opcoes de acoes de incentivo (ISOs) nao podem ser dedutiveis para a empresa, mas menos de 20 das opcoes concedidas sao ISOs.) Vejamos como 100.000 acoes ordinarias se tornam 103.900 acoes diluidas segundo o metodo das acoes em tesouraria, que, lembra-se, e baseada em um exercicio simulado. Assumimos o exercicio de 10.000 opcoes de dinheiro que ele proprio acrescenta 10.000 acoes ordinarias para a base. Mas a empresa recebe receita de exercicio de 70.000 (7 preco de exercicio por opcao) e um beneficio fiscal de 52.000 (13 ganho x 40 taxa de imposto 5.20 por opcao). Isso e um enorme 12,20 desconto em dinheiro, por assim dizer, por opcao para um desconto total de 122.000. Para completar a simulacao, assumimos que todo o dinheiro extra e usado para comprar de volta acoes. Ao preco atual de 20 por acao, a empresa compra de volta 6.100 acoes. Em resumo, a conversao de 10.000 opcoes cria apenas 3.900 acoes liquidas adicionais (10.000 opcoes convertidas menos 6.100 acoes de recompra). Aqui esta a formula real, onde (M) preco de mercado atual, (E) preco de exercicio, (T) taxa de imposto e (N) numero de opcoes exercidas: Pro Forma EPS captura as novas opcoes concedidas durante o ano Nos analisamos como diluido O EPS capta o efeito das opcoes em circulacao ou em circulacao concedidas em anos anteriores. Mas o que fazemos com as opcoes concedidas no ano fiscal atual que tem valor intrinseco zero (isto e, assumindo que o preco de exercicio e igual ao preco das acoes), mas sao onerosas, no entanto, porque tem valor temporal. A resposta e que usamos um modelo de preco de opcoes para estimar um custo para criar uma despesa nao monetaria que reduz o lucro liquido relatado. Considerando que o metodo das acoes em tesouraria aumenta o denominador do indice EPS por meio da adicao de acoes, o gasto pro forma reduz o numerador do EPS. (Voce pode ver como a despesa nao duplica a contagem como alguns sugeriram: o EPS diluido incorpora concessoes velhas das opcoes enquanto o pro-forma que expensing incorpora concessoes novas.) Nos revisamos os dois modelos principais, Black-Scholes e binomial, nas proximas duas parcelas deste , Mas o seu efeito e geralmente para produzir uma estimativa de valor justo do custo que esta em qualquer lugar entre 20 e 50 do preco das acoes. Enquanto a regra de contabilidade proposta que exige a despesa e muito detalhada, a manchete e justo valor na data de concessao. Isso significa que a FASB quer exigir que as empresas estimem o valor justo das opcoes no momento da concessao e reconhecam essa despesa na demonstracao de resultados. Considere a ilustracao abaixo com a mesma empresa hipotetica que analisamos acima: (1) O EPS diluido e baseado na divisao do lucro liquido ajustado de 290.000 em uma base de acoes diluida de 103.900 acoes. No entanto, sob pro forma, a base de acoes diluida pode ser diferente. Veja nossa nota tecnica abaixo para mais detalhes. Primeiro, podemos ver que ainda temos acoes ordinarias e acoes diluidas, onde acoes diluidas simulam o exercicio de opcoes anteriormente concedidas. Em segundo lugar, assumimos ainda que foram concedidas 5.000 opcoes no ano em curso. Vamos supor que o nosso modelo estima que eles valem 40 do preco de 20 acoes, ou 8 por opcao. A despesa total e, portanto, 40.000. Em terceiro lugar, uma vez que nossas opcoes acontecerao a cliff vest em quatro anos, vamos amortizar a despesa nos proximos quatro anos. Este e o principio da contabilidade de correspondencia em acao: a ideia e que nosso empregado estara prestando servicos durante o periodo de carencia, para que a despesa pode ser distribuida durante esse periodo. (Embora nao tenhamos ilustrado isso, as empresas podem reduzir a despesa em antecipacao de perda de opcoes devido a rescisoes de empregados. Por exemplo, uma empresa poderia prever que 20 das opcoes concedidas serao perdidos e reduzir a despesa em conformidade). A despesa para a concessao das opcoes e 10.000, as primeiras 25 da despesa 40.000. Nosso lucro liquido ajustado e, portanto, 290.000. Dividimos isso em acoes ordinarias e acoes diluidas para produzir o segundo conjunto de numeros pro forma EPS. Essas informacoes devem ser divulgadas em nota de rodape e, com toda a probabilidade, exigirao reconhecimento (no corpo da demonstracao de resultados) para os exercicios fiscais iniciados apos 15 de dezembro de 2004. Uma nota tecnica final para os valentes Ha um tecnicismo que merece alguma mencao: Utilizamos a mesma base de acoes diluida para os calculos do EPS diluido (EPS diluido reportado e EPS diluido pro forma). Tecnicamente, sob o ESP pro forma diluido (item IV do relatorio financeiro acima), a base de acoes e ainda acrescida do numero de acoes que poderiam ser compradas com a despesa de compensacao nao amortizada (ou seja, alem do lucro do exercicio e Beneficio fiscal). Consequentemente, no primeiro ano, como somente 10.000 da despesa da opcao de 40.000 foram carregados, os outros 30.000 hipoteticamente podiam recomprar 1.500 partes adicionais (30.000 20). Este - no primeiro ano - produz um numero total de acoes diluidas de 105.400 e EPS diluido de 2.75. Mas, no quarto ano, sendo todos iguais, o 2.79 acima seria correto, ja que ja teriamos terminado de pagar os 40.000. Lembre-se, isso so se aplica ao EPS pro forma diluido onde estamos expensing opcoes no numerador Conclusao opcoes de Expensing e apenas uma tentativa de melhores esforcos para estimar o custo das opcoes. Os proponentes tem razao ao dizer que as opcoes sao um custo, e contar algo e melhor do que nao contar nada. Mas eles nao podem alegar que as estimativas de despesas sao precisas. Considere nossa empresa acima. E se o estoque mergulhou para 6 no proximo ano e ficou la Em seguida, as opcoes seriam totalmente inutil, e nossas estimativas de despesa iria revelar-se significativamente exagerado, enquanto o nosso EPS seria subestimado. Por outro lado, se o estoque melhorou do que o esperado, nossos numeros do EPS seriam exagerados porque nossa despesa wouldve girou para fora ser understated. A contagem para a compensacao baseada em estoque (emitida 1095) Esta indicacao estabelece padroes financeiros da contabilidade e de relatorio para a compensacao empregado conservada em estoque Planos. Esses planos incluem todos os acordos pelos quais os empregados recebem acoes de acoes ou outros instrumentos de capital proprio do empregador ou o empregador incorre em passivos com empregados em valores baseados no preco das acoes dos empregadores. Exemplos sao planos de compra de acoes, opcoes de acoes, acoes restritas e direitos de apreciacao de acoes. Esta Declaracao tambem se aplica a transacoes em que uma entidade emite seus instrumentos de capital para adquirir bens ou servicos de nao empregados. Essas transacoes devem ser contabilizadas com base no valor justo da contraprestacao recebida ou no valor justo dos instrumentos patrimoniais emitidos, o que for mais confiavel mensuravel. Contabilizacao de Premios de Remuneracao Baseada em Acoes para Empregados Esta Declaracao define um metodo baseado no valor justo de contabilizacao de uma opcao de compra de acoes para empregados ou instrumento de capital proprio semelhante e incentiva todas as entidades a adotar esse metodo de contabilizacao de todos os planos de remuneracao de empregados. No entanto, tambem permite que uma entidade continue a mensurar o custo de compensacao para esses planos usando o metodo de contabilizacao baseado no valor intrinseco prescrito pelo Parecer n? 25 da APB, Contabilizacao de Acoes Emitidas aos Empregados. O metodo baseado no valor justo e preferivel ao metodo da Opiniao 25 para fins de justificar uma mudanca de principio contabil de acordo com o Parecer n? 20 da APB, Mudancas Contabeis. As entidades que optarem por permanecer com a contabilidade no Parecer 25 devem fazer divulgacoes pro-forma do lucro liquido e, se apresentadas, lucro por acao, como se o metodo de contabilizacao do valor justo definido nesta Declaracao tivesse sido aplicado. De acordo com o metodo baseado no valor justo, o custo de compensacao e mensurado na data da concessao com base no valor da premiacao e e reconhecido ao longo do periodo de servico, que e geralmente o periodo de carencia. De acordo com o metodo baseado no valor intrinseco, o custo de compensacao e o excesso, se houver, do preco de mercado cotado do estoque na data de outorga ou outra data de mensuracao sobre o valor que um empregado deve pagar para adquirir o estoque. A maioria dos planos fixos de opcoes de acoes - o tipo mais comum de plano de remuneracao de acoes - nao tem valor intrinseco na data da outorga e, segundo o Parecer 25, nenhum custo de remuneracao e reconhecido por eles. O custo de compensacao e reconhecido para outros tipos de planos de remuneracao baseados em acoes, conforme o Parecer 25, incluindo planos com caracteristicas variaveis, geralmente baseadas no desempenho. Recompensas de Remuneracao de Acoes Obrigatorias por Emissao de Instrumentos de Participacao Para opcoes de acoes, o valor justo e determinado utilizando um modelo de precificacao de opcoes que leva em consideracao o preco das acoes na data da outorga, o preco de exercicio, a expectativa de vida da opcao, a volatilidade Da acao subjacente e os dividendos esperados nela, ea taxa de juros livre de risco durante a vida esperada da opcao. As entidades nao publicas podem excluir o fator de volatilidade na estimativa do valor de suas opcoes de acoes, o que resulta na mensuracao pelo valor minimo. O valor justo de uma opcao estimada na data de outorga nao e posteriormente ajustado por mudancas no preco da acao subjacente ou sua volatilidade, a vida util da opcao, os dividendos nas acoes ou a taxa de juros livre de risco. O justo valor de uma accao de accoes nao alienadas (normalmente designada por accoes restritas) atribuido a um empregado e mensurado ao preco de mercado de uma accao de uma accao nao restrita na data de concessao, a menos que uma restricao seja imposta depois que o empregado tiver um direito adquirido Em que o valor justo e estimado tendo em conta essa restricao. Planos de Compra de Acoes para Empregados Um plano de compra de acoes para empregados que permite que os funcionarios adquiram acoes com desconto do preco de mercado nao e compensatorio se satisfizer tres condicoes: (a) o desconto e relativamente pequeno (5% ou menos satisfaz automaticamente essa condicao (B) substancialmente todos os funcionarios em tempo integral podem participar em uma base equitativa, e (c) o plano nao incorpora caracteristicas de opcao como permitir que o empregado compre o estoque em um Desconto fixo do menor entre o preco de mercado na data da concessao ou da data de compra. Recompensas de compensacao de acoes exigidas para ser liquidado por pagamento de dinheiro Alguns planos de compensacao com base em acoes exigem um empregador para pagar um empregado, por demanda ou em uma data especificada, um montante em dinheiro determinado pelo aumento no preco das acoes dos empregadores a partir de um nivel especificado. A entidade deve mensurar o custo de compensacao por essa premiacao no valor das mudancas no preco das acoes nos periodos em que as mudancas ocorrem. Esta Declaracao exige que as demonstracoes financeiras dos empregadores incluam certas divulgacoes sobre arranjos de remuneracao dos empregados com base em acoes, independentemente do metodo usado para contabiliza-los. Os valores pro-forma exigidos a serem divulgados por um empregador que continue a aplicar as disposicoes contabeis da Opiniao 25 refletirao a diferenca entre o custo de compensacao, se houver, incluido no lucro liquido eo custo relacionado medido pelo metodo baseado no valor justo definido neste Declaracao, incluindo os efeitos fiscais, se houver, que teriam sido reconhecidos na demonstracao de resultados se o metodo baseado no valor justo tivesse sido utilizado. Os valores pro forma requeridos nao refletirao quaisquer outros ajustes no lucro liquido declarado ou, se apresentados, no lucro por acao. Data de Vigencia e Transicao Os requisitos contabeis desta Demonstracao sao efetivos para transacoes realizadas em exercicios fiscais iniciados apos 15 de dezembro de 1995, embora possam ser adotados na emissao. Os requisitos de divulgacao desta Demonstracao estao em vigor para as demonstracoes financeiras dos exercicios fiscais iniciados apos 15 de dezembro de 1995 ou para um exercicio anterior para o qual esta Declaracao e inicialmente adotada para reconhecer o custo da remuneracao. As divulgacoes pro-forma exigidas para as entidades que optarem por continuar a mensurar o custo de remuneracao usando a Opiniao 25 devem incluir os efeitos de todas as concessoes concedidas em exercicios fiscais iniciados apos 15 de dezembro de 1994. Divulgacao pro forma para premios concedidos no primeiro ano fiscal iniciado apos dezembro 15, de 1994, nao precisam ser incluidas nas demonstracoes financeiras para esse exercicio, mas devem ser apresentadas posteriormente sempre que as demonstracoes financeiras desse exercicio forem apresentadas para fins comparativos com as demonstracoes financeiras de um exercicio fiscal posterior. BIBLIOTECA DE REFERENCIA